Notícia - Milton Campos

Graduação de 11 novos bacharéis tem homenagem a Sidney Safe

31/10/2017|Notícias

Onze novos bacharéis em Direito pela Milton Campos colaram grau na manhã desta terça-feira, 31 de outubro, no auditório da faculdade, em sessão da Congregação, sob a presidência da diretora Lucia Massara e com a presença do secretário-geral Marcos Afonso de Souza e do secretário Flávio Chaves.

Após a conferência de grau aos novos bacharéis, a professora Lucia Massara fez breve exposição sobre o “momento difícil” que vive o Brasil e exortou-os a exercerem a profissão “sempre com ética”. Lembrou também que a faculdade continuará aberta a todos, para utilização da biblioteca, realização de cursos de especialização e de pós-graduação e participação em todos os eventos programados.

São os seguintes os novos bacharéis:

Bernardo Costa Bax

Carolina Alvarenga Long

Diogo Pimenta Lopes

Janaina de Paula

Larissa Luz Patrus

Luan de Castro Almada

Luiza Esteves

Luíza Kumaira Vilchez

Maxwel Gonçalves do Amaral Gurgel

Raquel Bagno Vieira

Reginaldo Dias da Silva

Sidney Safe homenageado

Durante a sessão, a faculdade prestou homenagem a um de seus fundadores, o professor Sidney Safe da Silveira, que integrou-se ao grupo fundador em 1972, a convite dos professores João Milton Henrique e Wilson Chaves, com a proposta de fazer em Minas um curso capaz de “formar não apenas o bacharel, mas o jurista crítico, preparado para construir algo novo, participar, elaborar, enfim, dar sua visão do Direito”.

Ele assumiu a presidência da entidade mantenedora em 1992, completando o mandato do professor Wilson Chaves, e foi sucessivamente reeleito para exercer a função até seu falecimento, em 18 de junho de 2009, aos 74 anos.

Sidney Safe foi Secretário de Segurança Pública e de Interior e Justiça de Minas Gerais e presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – Seção de Minas Gerais, por dois mandatos (1983 a 1987), além de integrar o Conselho Federal da Ordem de 1987 a 1990. Foi também professor da Faculdade de Direito da UFMG e era um dos mais conceituados penalistas de Minas Gerais. Sua opção pelo Direito, segundo ele mesmo dizia, foi motivada pelo exemplo do pai, o jurista César Silveira.

Ele nasceu em Conceição do Mato Dentro em 13 de abril de 1935 e deixou viúva a senhora Maria Solange Velloso Silveira, os filhos Juliana e Sidney Júnior e dois netos.