Dedicação aos estudos dá bolsa de 3 mil euros a aluna da FDMC

[vc_row][vc_column][gt3_custom_text text_color=”#3c434b” font_size=”16″]A aluna Júlia Maria Russo de Magalhães Drummond foi a ganhadora da bolsa de 3 mil euros do Banco Santander para estudar durante seis meses na Universidade de Lisboa (ULISBOA), no primeiro semestre de 2018. Bolsista pelo Prouni (50%) e pelo Fies (50%), ela concorreu com outros 24 colegas e saiu vencedora por sua rica trajetória acadêmica na Faculdade de Direito Milton Campos, onde já desenvolveu dois projetos de pesquisa, participou de três grupos de estudos e foi bolsista da Fapemig. Em maio, ela foi uma das vencedoras do Prêmio Miriam Abreu Campos como ‘Destaque de Iniciação Científica’ da faculdade.

A concessão da bolsa é resultado de convênio firmado pelo Núcleo de Relações Institucionais (NRI) da FDMC com o Banco Santander, que possui amplo programa de bolsas para estudantes universitários brasileiros. Segundo o professor André Rubião, coordenador do NRI, “o que mais contribuiu para o sucesso da Júlia foi o fato de ela ter feito diversas atividades na Milton, como projetos de iniciação cientifica, além de ter publicado artigos, de ter boas notas e de ter feito atividades de extensão”. Rubião diz que “isso deve servir de referência para todos os alunos, que devem atentar para o fato de que tudo o que fazem na faculdade conta em futuros processos de seleção”.

Vida acadêmica intensa

Além dos projetos na faculdade, Júlia Drummond já trabalhou em três estágios diferentes: na Procuradoria Geral do município de Belo Horizonte; no escritório Ananias Junqueira Ferraz, trabalhando com área cível; e no escritório Costa Val & Advogados Associados, com o presidente da Comissão de Ética da OAB-MG, Dr. Milton Fernando da Costa Val, e com a Procuradora e advogada Hercília Maria Portela Procópio.

Nos dois projetos de iniciação científica na Milton Campos, ela teve como orientadoras as professoras Luciana Cristina de Souza (Governança: como a norma pode afetar a neutralidade da rede) e Mônica Aragão Martiniano Ferreira e Costa (Organização do Poder Executivo Federal no Brasil: viabilidade de aprimoramento). Ambos foram financiados por bolsa da Fapemig e resultaram em publicações.

Ela diz que sua aprovação para o intercâmbio na Universidade de Lisboa ainda é muito recente, mas que já está “arquitetando, com a professora Mônica Aragão, um Projeto de Pesquisa Voluntária que terá por objeto a continuação da pesquisa com o foco na comparação da legislação e doutrina de Portugal e Brasil em relação aos ministérios e órgãos dos dois países”.[/gt3_custom_text][/vc_column][/vc_row]

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.